Terça-feira, 07 de Dezembro de 2021
Frustrados

Na Arena, pais compram ingressos para crianças e são 'surpreendidos' com proibição

Enquanto torcedores entravam eufóricos, pais frustrados por desconhecerem a recomendação lamentavam do lado de fora da Arena. Apenas vacinados entraram no estádio



WhatsApp_Image_2021-10-14_at_19.53.08_23C37A06-8EA1-4BA5-ADF1-D3E2CE5B917E.jpeg Foto: Arlesson Sicsú
14/10/2021 às 21:19

O jogo da Seleção Brasileira contra o Uruguai nesta quinta-feira (14), na Arena da Amazônia, mobilizou os torcedores manauaras que queriam ver de perto ídolos do futebol mundial desfilando em solo baré. O evento não somente traz de volta a Canarinho para o Amazonas, como marca a abertura dos estádios para receber o público em geral em uma partida de futebol, após 18 meses com portões fechados em razão da pandemia - ainda em curso - da Covid-19. 

Com protocolos estabelecidos previamente pela organização do evento, houve quem ainda fosse barrado nas catracas da Arena, não por estarem em desconformidade com seus protocolos pessoais de saúde - como máscaras e carteira de vacinação -, mas por estarem acompanhados de crianças, que ainda não puderam ser imunizadas de acordo com a faixa etária do plano nacional de imunização. 



Enquanto torcedores entravam eufóricos, pais frustrados por desconhecerem a recomendação lamentavam do lado de fora da Arena, acompanhados por seus pequenos. É o caso do senhor identificado apenas como Edivaldo, que comprou quatro ingressos: um para si, para a esposa já imunizada, para a sua filha igualmente imunizada e para o seu filho, de apenas quatro anos. Contudo, por não receber nenhuma vacina contra Covid-19, a criança foi impedida de entrar nas dependências da Arena.

O pai lamentou o fato e criticou a organização da partida, pela ‘falta de informação’ sobre o impedimento da entrada de crianças não-imunizadas no estádio.

“Eu nem sabia, não tem nada explicando lá (referindo-se ao ato de comprar o ingresso via internet). Faltou organização, não tinha nada informando, vim saber agora e eu não vou deixar meu filho aqui sozinho, né? Eu assisto o jogo e ele fica com quem?” disse o torcedor, que consternado, prosseguiu:

“Comprei quatro ingressos. Minha esposa, minha filha de 17 e meu filho de 4 (anos), como vou ficar? Não sei o que fazer”, disse Edivaldo, antes de ser interrompido por um funcionário do evento, que explicou à ele que somente crianças com idade acima de 12 anos, já imunizadas, poderiam entrar no estádio. 

Alerta feito com antecedência

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) já havia informado, em coletiva feita em Manaus, que não seria liberada a entrada de pessoas não-vacinadas, incluindo crianças. 

Vale ressaltar que a CBF disponibilizou em seu site um ‘passo a passo’ de como gerar um voucher de entrada para o jogo, inclusive com um manual de acesso ao estádio que incluía, em uma de suas etapas, a inserção de dados e arquivos que comprovassem a vacinação.

Otimismo em prestigiar um evento in loco

Se para alguns, ver a seleção acabou em lamentação, para outros virou motivo de otimismo. Uma família dividida entre nacionalinos e flamenguistas estavam empolgados em poder retornar a um grande evento em segurança. Em rápida passagem pela reportagem do A Crítica, o torcedor da equipe amazonense falou com entusiasmo sobre a volta aos estádios.

"Esperançosos em poder voltar a sentir essa emoção. A espera foi grande, estávamos desesperados esperando esse momento. O jogo vai ser 3 a 0, confiança pura e energia positiva mais do que nunca”.

João Felipe

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.