Terça-feira, 20 de Abril de 2021
Editorial

Reabertura responsável


CENTRO-DE-MANAUS-DURANTE-PANDEMIA-25-06-2020-FOTO-BRUNO-KELLY-9_C6B05312-2B80-4C83-999A-A859B7829D78.jpg
22/02/2021 às 07:49

A partir desta segunda-feira, Manaus entra em um novo capítulo no enfrentamento da crise sanitária. A reabertura do comércio, em horário especial de funcionamento, foi uma decisão que o governo do Estado tomou após análise criteriosa de uma série de dados que demonstram, de fato, redução nos números de infectados e de óbitos em decorrência da covid-19 na capital. Os índices atuais ainda são extremamente preocupantes, mas já houve melhora sensível e se constata tendência de manutenção na queda dos indicadores. 

Obviamente, as preocupações com a saúde pública no cenário de pandemia estão em primeiro lugar, mas os olhos também estão voltados para os efeitos que o confinamento prolongado causa na economia, com muitos empresários endividados e até mesmo sem perspectivas de continuar com as portas abertas.

O poder público tem buscado equilíbrio entre as medidas necessárias ao controle da pandemia e a atividade econômica. É razoável que as lojas permaneçam abertas, com circulação reduzida de clientes e manutenção das medidas de distanciamento e higiene, sem aglomerações e riscos reduzidos ao mínimo. Mas o sucesso de tais providências depende fundamentalmente da colaboração de toda a sociedade. Não podemos cometer os erros da primeira onda, com multidões nas ruas nas últimas semanas de 2020. Todos ansiamos pelo fim da pandemia e o retorno à normalidade. Mas precisamos ter consciência de que isso não vai acontecer de uma hora para outra. 

O temor de que a reabertura do comércio resulte em aglomerações desnecessárias que acarretem nova escalada de infecções e mortes é real. E não resta dúvida de que novas ações restritivas serão tomadas ao menor sinal de uma terceira onda de infecções. A retomada da economia com segurança depende de todos e de cada um. Quem puder ficar em casa, deve permanecer na segurança de seu lar. Cabe ao empresariado controlar o acesso a seus estabelecimentos e ao poder público fiscalizar e reprimir com rigor o descumprimento do decreto governamental. O combate às festas clandestinas deve endurecer, com prisão e multa dos irresponsáveis. 
Se cada um fizer sua parte adequadamente, tudo indica que logo deixaremos para trás os dias mais difíceis e poderemos retornar à normalidade que nos restar.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.