Sexta-feira, 30 de Outubro de 2020
Editorial

Medidas necessárias


show_DIVULGA__O_SSP-AM__3__D6084227-65C7-4001-9309-B2393AC8F04B.jpg
26/09/2020 às 09:28

Os sinais de alerta da outra onda de coronavirus no Amazonas estão concretamente espalhados nas cidades, com destaque para a Manaus, onde as aglomerações permanecem em alta, como se nada tivesse ocorrido e ocorrendo. Não impactam as 132.687 mil pessoas contaminadas no Estado, nem as 2.462 mortes, até o dia 22 de setembro (dados da Fundação de Vigilância Sanitária).

A decisão do governo estadual, tomada na última quinta-feira, de impor regras mais duras para tentar impedir as aglomerações sociais é necessária. Setembro encerrará com a elevação de casos e a rede pública de saúde já revive momentos que preocupam, caso o número de pacientes permanece em elevação. Os protocolos sanitários em todo o mundo apontam o distanciamento social, o uso de máscara e o lavar bem as mãos como condutas que ajudam a enfrentar a pandemia e o contágio. Protegem, no entanto, uma das medidas, o uso de máscara, é banalizada e a peça, em situações recorrentes, passa a ser utilizada em outras partes do corpo (pescoço, orelha) ou do carro, da motocicleta ou de áreas do ambiente de trabalho, de reuniões físicas.

Ao mesmo tempo os que adoecem e seus familiares experimentam horas, dias e até semanas de sofrimento em busca do atendimento adequado. Alguns que são curados até passam a reconhecer a atitude de imprudência, de desrespeito e da pouca importância que deram para essa pandemia; outros não tiveram tempo de fazê-lo, mortos em decorrência da contaminação. 

Tomar medidas dentro da legalidade para salvaguardar a vida humana e evitar que um segundo tempo de tragédia aconteça é fundamental e dever básico das autoridades públicos que, quando agem noutra direção, cometem crimes de lesa-pátria. As festas com aglomerados humanos que acontecem em várias cidades amazonenses e de forma pública além de eventos anunciados para os próximos meses combinam o poder de virulência da Covid-19 para aumentar ainda mais o número de doentes. Impedir que esse roteiro prossiga é tarefa primeira das autoridades da saúde, e também da sociedade.
 


Mais de Acritica.com

30 Out
show_1_A8258414-BC58-4974-AFBF-5FEDFF167A09.jpg

Juíza deixa Comissão de Propaganda Eleitoral no AM

30/10/2020 às 16:31

Magistrada Mônica Cristina alegou questão de foro íntimo como motivo para a saída. Fontes consultadas por A Crítica avaliam que a juíza estava insatisfeita com "algumas coisas" e pela "constante troca de servidores e poucos auxiliares


Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.