Segunda-feira, 21 de Setembro de 2020
Sim e Não

Manaus foi porta para o novo coronavírus no país


show_tam_8C779599-7D38-4A8E-87B3-F9744B95A59F.jpg
18/05/2020 às 08:37

O ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta acredita que Manaus foi uma das portas de entrada para o novo coronavírus no Brasil. Em entrevista à jornalista Leda Nagle, em seu canal do Youtube, Mandetta diz que a frequência de viagens de Manaus para Miami e para a China, um dos principais fornecedores da Zona Franca, teriam contribuído para isso. Ele também ressalta que, hoje, o epicentro da pandemia está deslocando de Manaus para Belém. 

Sepultamentos   As observações do ex-ministro vêm ao encontro de dados como a queda no número de sepultamentos em Manaus nas últimas semanas, segundo dados da Prefeitura. O ex-ministro, porém, alerta que o aparente recuo da doença em algumas cidades não é suficiente para o afrouxamento de medidas restritivas.

Crítica A despeito dos riscos que a covid-19 ainda representa, a Associação PanAmazônia posicionou-se, em nota, pelo fim do isolmamento social, com livre circulação de pessoas e retomada das atividades produtivas. A instituição critica a atuação de governos municipais e estaduais, que vêm prolongando medidas restritivas.   

‘Normalidade’   Para a instituição, a retomada da atividade econômica deve ser feita de modo cuidadoso, respeitando recomendações médicas e sanitárias. “Mas que se permita, urgentemente, a volta de um mínimo de normalidade à vida social. Sem isso, e mantendo-se a continuidade da quarenta, caminharemos para o caos social e econômico”, diz  a nota. 

Comércio Uma das preocupações do governo do Estado, da Prefeitura de Manaus e do empresariado  é a queda brusca na arrecadação, principalmente do comércio, que despencou 20% em março na comparação com fevereiro e deve apresentar recuos ainda mais expressivos em abril e maio.

Recuperados   A Polícia Militar do Amazonas comemora o fato de que 164 policiais militares já estão  recuperados da Covid-19. A iniciativa do comando da corporação de oferecer à tropa tratamento para combater o vírus vem apresentando resultados extremamente satisfatórios. 

Feminicídio O assassinato da jovem Kimberly Mota (22) reacendeu na Assembleia Legislativa do Amazonas (ALE-AM) os debates em torno do combate ao feminicídio, um crime que no Amazonas registra índices muito acima da média nacional. 

Campanha A ALE-AM abriu uma frente de esclarecimento às mulheres vítimas de violência doméstica e de feminicídio, criando uma campanha com orientações básicas sobre como evitar ou denunciar esse crime, previsto pela Lei Maria da Penha (Lei n. 11.340). 

Estatística O  Núcleo de Estudos da Violência da Universidade de São Paulo (USP) e o Fórum Brasileiro de Segurança Pública divulgaram estudo mostrando que os casos de feminicídio no Amazonas subiram 200% entre os anos de 2018 e 2019. 

Câmara Municipal Na Câmara Municipal, o vereador Rosinaldo Bual  (PMN) obteve o menor índice de frequência nas sessões da Casa. Ele esteve presente em apenas seis das 11 sessões realizadas no mês de abril. O parlamentar alegou “motivo de força maior” para as ausências.


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.