Segunda-feira, 21 de Setembro de 2020
Sim e Não

Josué Neto traído pelo microfone


show_share_medium_4966F8A0-6C8E-453C-AFA3-28C178E95EF2_A23EF06D-FEDB-487C-B276-CD576358990E.jpg
15/05/2020 às 08:33

Em áudio vazado durante a sessão plenária de ontem (14), o presidente da Assembleia Legislativa do Amazonas (ALE–AM), Josué Neto (PRTB), soltou um sonoro palavrão. O problema, contudo, não foi o decoro, já que até os atuais adversários compreenderam quando o deputado explicou que estava repreendendo o filho. A questão suscitada  foi outra: Josué estava com o microfone desligado. Como vazou o dele, o audio de outros deputados, mesmo com o microfone desligado, pode vazar também? 

Instável   O incidente aconteceu justamente no dia em que o presidente da ALE-AM estreava um novo software para a realização das sessões virtuais da Casa. A nova plataforma apresentou instabilidade, provocando o questionamento de alguns parlamentares sobre sua eficiência.  

Controle   Na quarta-feira (13), Josué Neto havia declarado que só retomaria as sessões quando pudesse controlar os microfones dos deputados, o que foi interpretado como autoritarismo por vários parlamentares.

Milícias   As deputadas estaduais Alessandra Campêlo (MDB) e Joana Darc (PL) denunciaram na sessão de ontem (14) a existência de milicias virtuais criadas para atacar parlamentares.  De acordo com Alessandra, o grupo é coordenado por um partido político e os ataques estariam sendo pagos com dinheiro público.   

Revolta  Ao denunciar os ataques que vem sofrendo  das tais  milícias digitais financiadas com dinheiro público, Joana Darc se disse  triste e muito revoltada em constatar que há pessoas o financiadas para atacar os outros num momento de pandemia, em que se fazem necessários  prudência, união ação e trabalho.

Paz   Um requerimento do  deputado estadual João Luiz (Republicanos), já em tramitação na Mesa Diretora da Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (ALE-AM), solicita ao Governo do Estado e à Prefeitura de Manaus que seja analisada a viabilidade de implementação do serviço de atendimento para enfrentar a ansiedade neste momento de confinamento. 

Sobrepreço   Diante de denúncias de que  o comprimido de azitromicina, medicamento usado no tratamento da Covid-19, está sendo vendido a R$ 100 em Parintins, a Defensoria Pública do Estado do Amazonas (DPE-AM) recomendou às farmácias da região do  Baixo Amazonas que não aumentem de maneira injustificada e abusiva o preço dos medicamentos, em meio à pandemia   de Covid-19. 

Lava Jato   A juíza amazonense Márcia Criste Leite Vieira, que fez carreira no TJ-BA, foi convocada pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ) para atuar como juíza instrutora no gabinete do ministro Felix Fischer, que retomou no final de março a relatoria dos recursos da operação Lava Jato.  

Cobrança   Em reunião virtual da Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara Federal, com a presença de representantes do Ministério da Cidadania e da Caixa Econômica Federal (CEF), o deputado federal José Ricardo (PT) voltou a cobrar mudanças nas ações e implementações de propostas já sugeridas ao Governo Federal sobre o auxílio emergencial.


 


Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.