Domingo, 27 de Setembro de 2020
em reparos

Motoristas cobram liberação de complexo viário na Constantino Nery

Ação foi necessária após um caminhão derrubar, na noite da última sexta-feira, a barra de ferro que delimita a altura máxima para acesso ao viaduto



complexo_D77936B9-F01D-4D60-9008-2478286022F3.JPG Foto: Junio Matos/Free lancer
06/08/2020 às 06:03

Entregue a população há pouco mais de um mês, a passagem subterrânea do complexo viário Ministro Roberto Campos localizada na rua João Valério e a alça lateral em direção à avenida Constantino Nery estão interditadas pela Prefeitura de Manaus, desde a última terça-feira.

A intervenção emergencial, conforme o Executivo Municipal, foi necessária após um caminhão derrubar, na noite da última sexta-feira, a barra de ferro que delimita a altura máxima para acesso ao complexo viário. Uma faixa de limitação temporária chegou a ser instalada no local pela Secretaria Municipal de Infraestrutura, porém na manhã de sábado, outro caminhão avançou a limitação temporária e esbarrou na viga de sustentação da tubulação de gás.



O trabalho, que durará aproximadamente dez dias, já causa transtornos ao condutor o qual é orientado a acessar as duas alças laterais da rua João Valério em direção à avenida Constantino Nery e fazer o retorno na alça inferior do parque dos Bilhares.

“Estamos com os nossos agentes para orientar os condutores e impedir que outros veículos adentrem o espaço, podendo atingir a tubulação de gás. Vamos permanecer o tempo que for necessário, para que os condutores trafeguem com segurança nesta área. Enquanto durar o serviço de reparo, estaremos aqui”, salientou o chefe da divisão centro-sul do IMMU, Hudson Wadick.

População reclama

“É uma pena, tantos milhões investidos para a população não se dar conta desse limite de altura máxima da passagem subterrânea”, afirmou a empresária Ana Pinheiro, de 52 anos, sobre o transtorno causado. 

A respeito da interdição temporária na via o técnico em contabilidade, Jairo Bastos, de 45 anos, destaca que não tinha conhecimento. “Está complicado, um dia desses inaugurou essa obra e tem que fazer o retorno lá no Parque dos Bilhares de novo?. Não sabia, se eu soubesse, tinha ‘pegado’ a Djalma Batista para chegar na Compensa”.

O motorista de aplicativo, Marcelo Barreto, 27 anos, também desconhecia sobre a problemática no local. "Estou indo para a rua Pará. Percebi o trânsito intenso nessa área mas não sabia dessa interdição", comentou.

A Prefeitura de Manaus afirma que segue coordenando a interdição da passagem subterrânea do complexo viário Ministro Roberto Campos, no acesso João Valério/São Jorge, para realização de reparo emergencial no limitador de altura da estrutura.

Na quarta-feira, trabalhadores da empresa J Nasser, consórcio responsável pela obra, sob supervisão da Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seminf), retiraram o limitador antigo danificado, o que provocou temporariamente a interdição de uma das alças laterais, tudo acompanhado pelos agentes do Instituto de Mobilidade Urbana (IMMU), que seguem orientando os condutores no local.

Durante os serviços, os condutores que seguem pela João Valério poderão acessar as duas alças laterais em direção à avenida Constantino Nery e fazer o retorno na alça inferior do parque dos Bilhares.

Assim, retornam para a Constantino Nery e, mais adiante, acessam à direita em direção ao bairro São Jorge.

A previsão, segundo a Seminf, é que nesta quinta-feira, comece a fundação para a implantação do novo limitador de acesso.

A estimativa é de que a instalação seja concluída em dez dias.

Parte da cidade fica sem água

Grande parte de Manaus está sem abastecimento de água devido ao rompimento de um cabo de alta tensão do Complexo da Ponta do Ismael. O rompimento foi em um cabo da companhia de energia elétrica Amazonas Energia. Mais de 200 localidades da cidade, entre bairros, conjuntos e loteamentos estão com o abastecimento paralisados. Bairros das zonas Oeste, Centro-Oeste, Sul, Centro-Sul e Norte podem apresentar oscilações no abastecimento de água ontem. A previsão de normalização no abastecimento de água é de 48h após o término da manutenção elétrica e substituição do cabo por parte da concessionária de energia.

Por meio de nota, a Amazonas Energia informou que o problema foi causado por um rompimento de um cabo para-raios, nas proximidades da Subestação da Empresa Águas de Manaus o que provocou o curto-circuito.

News karol 2d8bdd38 ce99 4bb8 9b75 aaf1a868182f
Repórter de Cidades
Jornalista formada pela Uninorte. Apaixonada pela linguagem radiofônica, na qual teve suas primeiras experiências, foi no impresso que encarou o desafio da prática jornalística e o amor pela escrita.

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.