Sexta-feira, 30 de Outubro de 2020
ELEIÇÕES 2020

Começa a caça aos votos em Manaus em meio a novo avanço da Covid

Dois dias após a adoção de novas medidas contra aglomerações, os candidatos a prefeito e vereador iniciam suas campanha;. dois prefeituráveis estão no grupo de risco



ELEIC1_38780E7D-BA8B-4F11-BC8B-02011986966E.JPG
27/09/2020 às 12:56

A corrida eleitoral inicia oficialmente hoje com os candidatos autorizados a fazer campanha nas ruas e na internet. O início da corrida pelos votos do eleitorado se dá em um cenário de retomada do crescimento de casos de Covid-19 no Estado, que levaram a Prefeitura de Manaus e o governo do Estado a voltarem a adotar medidas de restrição para evitar aglomerações.

A campanha eleitoral se estenderá até às 22 horas de 14 de novembro às vésperas do primeiro turno. A propaganda eleitoral gratuita no rádio e televisão, contudo, só inicia no dia 9 de outubro e vai até 12 de novembro, há três dias do dia da votação.



De acordo com a cartilha da propaganda eleitoral, elaborada pelo Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas, a partir deste domingo candidatos podem distribuir santinhos, folhetos, adesivos e impressos devendo conter o CNPJ ou CPF do responsável pela confecção, quem a contratou e a tiragem. Também estão liberados para realizar caminhadas, carreatas, passeatas, comícios entre 8h e 24h e utilizar bandeiras nas ruas desde que não atrapalhe o trânsito de pessoas e veículos.

É permitido afixar adesivo microperfurado no para-brisa traseiro do carro e em outras posições do automóvel, contanto que não ultrapasse meio metro quadrado e também colocar adesivo plástico, com essa mesma dimensão, em janelas residenciais.

O uso de carro ou mini trio é autorizado durante a campanha obedecendo o limite de 80 decibéis e a distância de 200 metros de locais como as sedes dos Poderes Executivo e Legislativo, quartéis e hospitais, além de escolas, bibliotecas públicas, igrejas e teatros, quando em funcionamento. O uso de trio elétricos é exclusivo para sonorização de comício.

Impedimentos

É proibido fazer propaganda eleitoral, de qualquer natureza, incluindo cartazes, pinturas, placas, faixas e cavaletes, em locais como cinemas, clubes, lojas, centros comerciais, feiras, templos, ginásios e estádios, ainda que de propriedade privada. A vedação se estende a postes de iluminação pública, placas de trânsito, passarelas, pontes e paradas de ônibus, árvores, muros e cercas e também a propaganda em outdoors, inclusive, eletrônicos.

Durante a campanha eleitoral, candidato ou comitê não podem confeccionar e distribuir aos eleitores camisetas, chaveiros, bonés, canetas, brindes, cestas básicas ou outros bens. Ao eleitor é permitido a qualquer tempo o uso de bandeiras, broches, adesivos, camisetas e outros itens que manifestem a preferência por partido político ou candidato.

A legislação não permite a realização de showmício para promoção da candidatura e a apresentação virtual de candidatos acompanhados de artistas (livemícios) com a finalidade de animar comício e reunião eleitoral. É proibido qualquer tipo de propaganda eleitoral paga no rádio e na televisão, sendo autorizado a divulgação apenas no horário político gratuito que começa em 9 de outubro. Contudo, até 13 de novembro, antevéspera do 1º turno, é permitida a divulgação paga, na imprensa escrita, e a reprodução na internet do jornal impresso de até 10 anúncios por veículo.

Sem restrições

De acordo com a advogada e especialista em direito eleitoral Maria Benigno, o Tribunal Regional do Amazonas (TRE-AM) decidiu, em consulta feita pelo Ministério Público Eleitoral, que não haverá restrição de atos de campanha, como passeatas e comícios, desde que o candidato e a coligação adotem medidas de distanciamento social mínimo de 1,5 metro, higienização das mãos e obedeça o decreto estadual e a lei municipal que tornou obrigatório o uso de máscara em locais públicos.

“Ficará a cargo dos candidatos fazer observar essas regras sanitárias e, certamente, haverá fiscalização da Justiça Eleitoral. Ainda teremos a fiscalização dos órgãos de vigilância sanitária e o Ministério Público Eleitoral irá acompanhar bem de perto porque já demonstrou que tem preocupação com a possibilidade desses atos contribuírem para o aumento da disseminação do vírus”, disse.

Dois candidatos no grupo de risco

Aperto de mão, abraço e selfie com o candidato, ações bem características na eleições brasileiras, devem ser evitadas diante das regras de distanciamento social impostas pela pandemia do novo coronavírus. E como ficará o corpo a corpo da campanha eleitoral nas ruas frente a ameaça de contaminação pela Covid-19?

Aos 80 anos, diabético e cardíaco, Amazonino Mendes (Podemos) é o candidato a prefeito de Manaus mais velho e faz parte do grupo de risco da doença. A idade e a saúde são os principais ataques dos adversários contra Amazonino e a pandemia demandou novos cuidados para a campanha. O local da convenção do Podemos passou por uma sanitização na véspera do evento que não contou com a presença da imprensa, nem aglomerações e na reta final da pré-campanha Amazonino cumpriu agenda interna.

Outro candidato a prefeito acima dos 60 anos é Alfredo Nascimento (PL). Com 59 anos, aparece Romero Reis (Novo). Na faixa de idade dos 50 anos estão os candidatos Zé Ricardo (PT) e Coronel Menezes (Patriotas), ambos com 56, Gilberto Vasconcelos do PSTU (53), Chico Preto (DC) e David Almeida (Avante) com 51 anos. O caçula é Marcelo Amil com 37 anos. Em seguida, na ordem crescente de idade, vem Alberto Neto (Republicanos), com 38 anos, e Ricardo Nicolau (PSD), 45 anos.

 

News larissa 123 1d992ea1 3253 4ef8 b843 c32f62573432
Repórter de A Crítica

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.