Sexta-feira, 15 de Outubro de 2021
Polícia

Homem se entrega em delegacia de Manaus e confessa feminicídio no São Raimundo

Técnica de enfermagem teria terminado o relacionamento e companheiro não teria aceitado, esganando a vítima até a morte



WhatsApp_Image_2021-09-20_at_19.00.22_DD5AFABA-8040-4160-849D-656110E79126.jpeg Fotos: Iago Albuquerque
20/09/2021 às 19:26

Gilciney Dias da Silva, 55, se entregou nesta segunda-feira (20), no 20º Distrito Integrado de Polícia (DIP), na comunidade Campos Sales, no bairro Tarumã, Zona Oeste. Ele confessou ter matado a companheira, a técnica de enfermagem Luciane Gonçalves de Souza, 45, e abandonado o corpo dela nu em um carro na última quinta-feira (16), no bairro São Raimundo, Zona Oeste de Manaus. O motivo do crime, segundo Gilciney, foi porque a mulher queria terminar o relacionamento e até já estaria com outro homem.

De acordo com o delegado Rodrigo Barreto, titular da 4ª Seccional Oeste, que está respondendo interinamente pelo 20º DIP, Gilciney foi se entregar na delegacia, no entanto, não contava que já existia um mandado de prisão preventiva expedido pela Justiça do Amazonas.

“Em depoimento, ele (Gilciney) contou que a vítima iria largá-lo e já estava com outro homem, no entanto, o mesmo não aceitou o término do relacionamento. Ele a esganou e matou a companheira enforcada. Ela (Luciane) tinha marcas na cabeça e pelo corpo. Ele alega que após a discussão a mulher desferiu um tapa nele e ele a atacou em cima da cama”, disse o delegado.

A autoridade policial ressaltou ainda que pediu um exame de conjunção carnal para saber se Luciane foi abusada sexualmente pelo criminoso, pois foi encontrada nua no porta-malas de um carro preto, de placas OAD-3815 na rua Jerônimo Ribeiro.

Ainda conforme o delegado, a família de Luciane informou que ela costumava dormir sem roupas, e talvez por isso possa ter sido encontrada sem as vestimentas. “A família acredita que ele tenha a matado enquanto ela estava dormindo, no entanto, a investigação continua para ver o que será definido, pois trabalhamos com fatos concretos”, afirmou Barreto.

O delegado também explicou que na residência do casal foi encontrado vestígios de sangue. “A família relatou que os dois sempre brigavam quando ingeriam bebidas alcoólicas e a mulher nunca tinha feito um Boletim de Ocorrência (BO) sobre as agressões dentro do lar”, frisou o delegado Rodrigo Barreto.

Para a reportagem, Gilciney afirmou que “está arrependido” de ter cometido o crime. Na tarde desta segunda-feira (20), ele foi conduzido para o Instituto Médico Legal (IML), no bairro Cidade Nova, Zona Norte, para fazer exames de corpo de delito.

Gilciney vai responder por feminicídio (homicídio qualificado contra o sexo feminino). Barreto informou que o caso será encaminhado para a Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS). Ele ficará à disposição da Justiça do Amazonas.




Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.