Segunda-feira, 13 de Julho de 2020
BR-174

Justiça Federal envia reforço policial para terra indígena Waimiri-Atroari

Aos gritos de 'Essa terra é do Brasil', o deputado estadual Jeferson Alves (PTB-RR), munido com uma motosserra, derrubou um bloqueio que foi levantado pelos indígenas há mais de 16 anos na BR-174, que corta a terra indígena



1111_2463083B-6C37-4902-AF22-EBEE4BEA94FA.jpeg Foto: Reprodução/Facebook
29/02/2020 às 11:05

A Justiça Federal determinou na noite dessa quinta-feira (28) o envio de reforço policial para a fronteira da Terra Indígena Waimiri-Atroari, situada no norte do Amazonas e no sul de Roraima, no trecho que dá acesso para a BR-174. Ontem, o deputado estadual Jeferson Alves (PTB-RR), munido com uma motosserra, derrubou um bloqueio que foi levantado pelos indígenas há mais de 16 anos. Aos gritos de 'Essa terra é do Brasil', o parlamentar transmitiu a violação de correntes ao vivo pela internet. Determinação da Justiça acata pedido feito pelo Ministério Público Federal (MPF), que teme uma escalada de conflito contra os indígenas da etnia kinja. 

Na decisão em que A Crítica teve acesso, o juiz federal Felipe Bouzada Flores Viana, titular da 2ª Vara Federal, com sede em Boa Vista, determinou que a Fundação Nacional do Índio (Funai) deve recolocar as correntes que, de acordo com o juiz, controla o tráfego de veículos na rodovia federal, além de responsabilizar a Funai para adotar medidas necessárias para "impedir atentados aos serviços de contrrole territorial no trecho que intercepta a Terra Indígena Waimiri-Atroari". O juiz incluiu, em sua decisão, que a área dos postos de vigilância onde fica localizada as correntes deve ser mantido pelos mesmos agentes indígenas que fiscalizam a entrada na Terra Indígena. 

"Que seja destacada equipe de servidores, Policiais Federais, Policiais Rodoviários Federais ou agentes militares aptos a assegurar a manutenção da ordem tendente a impedir a prática de novos atos de usurpação da função jurisdicional no que diz respeito à permanência das correntes, pelo período que se mostrar necessário", conclui o juiz na decisão. Caso a União, representada pela Funai, não acate a determinação da Justiça em até 48h, deve ser aplicado multa diária de R$ 50 mil.

O deputado de Roraima acusa os indígenas de "impedirem o desenvolvimento do Estado", e com isso, busca justificar a ação violenta dessa quinta-feira. No vídeo transmitido ao vivo pelas suas redes sociais, Jeferson evoca o presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido) ao se posicionar contrário a atuação das ONGs, em especial as que cuidam dos povos indígenas.

"Se depender de mim, essa corrente nunca mais vai deixar o meu Estado isolado. Presidente Bolsonaro, é por Roraima,  é pelo Brasil e não a favor dessas ONGs [Organização sem fins lucrativos] que maltratam o meu estado", exaltou em trecho do vídeo.

Nas redes sociais, o deputado disse que a ação "interrompeu um ciclo que dura mais de 40 anos". “A retirada da corrente que impede o trânsito na BR-174 é um anseio antigo da população roraimense e uma promessa de campanha do deputado Jeferson Alves (PTB-RR)", afirmou em nota, publicada ontem pelo Jornal A Crítica, com base em uma reportagem do Congresso Em Foco. A assessoria também disse que o deputado está com a "consciência tranquila", já que entende que não cometeu crime algum.

Proteção da biodiversidade

O fechamento da passagem da BR-174, que liga o Amazonas a Roraima, pe feito por correntes durante o período das 18h às 6h, para impedir o trânsito de carros e caminhões como proteção aos animais de hábito noturno. Ônibus e caminhões com carga perecível e ambulâncias têm a passagem permitida mesmo durante bloqueio, ou seja, os serviços essenciais não são afetados. 

Conforme a Funai, a iniciativa de crontrolar o tráfego teve início com o Exército, quando responsáveis pelos postos de vigilância do programa de proteção ambiental da reser Waimiri-Atroari. O Instituto Sociambiental, diz que mais de 9 mil animais morreram atropelados entre 1997 e 2016, no trecho que atravessa a terra indígena.



Repórter

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.