Publicidade
Esportes
ARTE SUAVE

Feras do jiu-jitsu fazem disputa emocionante na sexta edição da Copa Pódio, em Manaus

Copa Pódio acontece neste sábado (12), a partir de 18h30, com uma reunião de grandes nomes da 'arte suave' 12/08/2017 às 09:40 - Atualizado em 12/08/2017 às 10:01
Show zcr0212 01 p01
Xande Ribeiro e Roberto Cyborg protagonizam disputa de equipes do Amazonas e Mato Grosso do Sul (Foto: Antônio Lima)
Valter Cardoso Manaus

A sexta edição da Copa Pódio de Jiu-Jitsu coloca frente a frente nomes pesados da modalidade nos tatames de Manaus. O card variado é um verdadeiro cardápio para os amantes da “arte suave”.

Um dos pontos altos do evento é a disputa do Grand Prix dos Pesos Médios, dividido em três fases. Entre os combates, são disputadas lutas especiais com atletas de diferentes categorias e com currículo de respeito. Kywan Gracie, por exemplo, tem uma vitória diante de ninguém menos que Conor McGregor no Campeonato Europeu de Jiu-Jitsu No-Gi, em 2012. Agora, espera brilhar na Copa Pódio. “Estou estreando neste grande evento, é um prazer enorme. Estou preparado para lutar com todo mundo e continuar fazendo grandes lutas na carreira”, resumiu o lutador.

Tem também que faça a sua estreia com a faixa preta na cintura. Fellipe Andrew pretende começar a nova saga com o pé direito.  “Treinei bastante para este campeonato. Mesmo com o peso mais abaixo que os outros, eu não considero isso como um desafio porque já treino com pessoas mais pesadas então vim preparado para fazer o meu melhor”, garantiu o lutador. 

 O grande destaque da competição será o confronto entre os times Caboclos e Pantaneiros, liderados por Xande Ribeiro  e Roberto Cyborg, respectivamente. O amazonense espera defender o nome do Estado e sair dos tatames com mais uma vitória para a conta. “Cresci às margens deste rio. Lutei no Rio de Janeiro, me mudei para lá, e depois me mudei para os Estados Unidos. Eu sempre representei o meu Estado. Então, na verdade, é um orgulho e uma satisfação muito grande quando este desafio foi lançado. O Cyborg é um cara mais pesado, mas mesmo assim eu não fugi porque aqui é ‘Cabocão’, então não tem essa. Vamos sair na mão mesmo”, resumiu o lutador. 

 Representando o Mato Grosso do Sul, Cyborg não sente o ‘fator casa’ do amazonense e promete muita emoção. “Eu não encaro como peso, é uma satisfação. Assim como o Xande falou que vai levar o Amazonas  onde ele vai, sempre tive muito orgulho de levar o jiu-jitsu pantaneiro. Aqui o Amazonas é um lugar que é um celeiro de campeões, com certeza o Mato Grosso do Sul veio a se destacar depois que eu passei a ter sucesso.  Então poder elevar o nome do meu Estado e poder trazer isso a tona é, com certeza uma oportunidade única para mim”, garantiu Cyborg.