Domingo, 29 de Março de 2020
Força da Zona Leste

Grande Família anuncia que será 'difícil não se emocionar' no seu desfile

Desfile grandioso e alegorias com movimentos são as “armas” da escola de samba A Grande Família, afirma o empresário Murilo Rayol



agrandefamilia2020_71EEE661-D30C-40DE-A3C5-96D35327B381.JPG Foto: Jair Araújo
19/02/2020 às 08:36

“A Grande Família vem dentro dos limites que temos de verba e patrocínio, mas vamos desfilar maravilhosos para fazer um Carnaval que vai emocionar todo mundo. Como diz o nosso samba: ‘Difícil é não se emocionar’”. A afirmação em tom de alegria e emoção é do empresário Murilo Rayol, que de homenageado do enredo do ano passado virou um amante da escola de samba do São José Operário.

Hoje, ele é o responsável pelo barracão da A Grande Família, por captar boa parte dos recursos para a agremiação e por repassar a mesma alegria que sente ao falar da escola a quem pergunta: “E como ela vem para esse Carnaval retratando o enredo ‘Sou Manauara, há 350 anos sentindo orgulho do meu chão’?”.   



“O enredo fala do manauara, do nosso orgulho de ser manauara e quem for vai se emocionar na Avenida do Sambódromo. Um cara como eu que foi homenageado em vida com um enredo tão lindo como aquele do ‘eu só quero ser feliz’ vai ser ‘escravo’ dessa escola até o fim da sua vida”, brinca o renomado empresário, mostrando o detalhe de um dos três carros alegóricos da “Galo”, como é conhecida no mundo do Carnaval, a A Grande Família.

A ansiedade para a chegada do sábado, dia do desfile, é do tamanho da grande expectativa para uma boa apresentação, informa Rayol.

“Nossa expectativa é que façamos um grande Carnaval, que as pessoas e os jurados reconheçam o nosso desfile, e espero que as outras venham bem igual a nós, mas é difícil vir igual. Mas tudo bem: estamos preocupados é conosco e fazendo de tudo visando uma boa apresentação. Serão três carros alegóricos com cinco tripés e todos com movimentos retratando o nosso amazonês, o nosso manauara, com ‘Que delícia o x-Caboquinho’ ou ‘Tem farinha, tem cupu, tambaqui e jaraqui / Quem gostar do meu tempero não sai mais daqui’. São coisas que estamos trazendo para emocionar o público. Quando A Grande Família entrar na avenida, será emoção do início até o final”, disse Murilo Rayol.

Segundo o presidente da escola de samba, Altemir Souza, a “escola vem coesa, trabalhando forte, com pé no chão, mas focando no campeonato, buscando esse título”.

Para este ano o orçamento inicial da A Grande Família era de R$ 700 mil, mas devido à crise e as condições financeiras passou drasticamente para em torno de R$ 400 mil a R$ 500 mil, informa Souza.

A escola virá com cerca de 3.500 brincantes divididos em 23 alas, sendo que duas delas serão ofertadas para a comunidade da Zona Leste desfilar.

“Estamos ensaiando na quadra questões como a evolução, harmonia e o canto que são muito importantes e que contagiam nao só quem está brincando, mas toda a arquibancada. A escola vem forte”, disse ele.

Muita criatividade para driblar a crise

Esta temporada será a sétima do artista plástico Mingo Cardoso, 40, à frente da confecção dos carros alegóricos da A Grande Família. Ela frisa que o Carnaval da agremiação vermelha e branca do São José será produzido num total de aproximadamente 45 dias por meio de 10 artistas oriundos de Parintins (a 325 quilômetros de Manaus), assim como ele.

“A maioria já trabalhou comigo em outros anos, já me conhece e sabe do tipo do meu trabalho, e todos nós unimos os esforços para fazer5 um bom  trabalho aqui na A Grande Família”, explica o artista.


O experiente artista plástico Mingo Cardoso, que anuncia surpresas para o desfile da Galo da Zona Leste

Em face de problemas financeiros, orçamento diminuído e pouco material, Mingo Cardoso explica que, a exemplo de outros artistas de barracão das escolas de samba de Manaus, apelar para a criatividade. 

“Uma inovação que fizemos neste ano com os carros alegóricos grandiosos foi fazer um diferencial nos movimentos. Todos os carros vão ter movimentação e com bastante pessoas e destaques, além de coreografias. Haverá uma surpresa no abre-alas que, é claro, eu não posso falar”, conta o parintinense.

“A esperança é que façamos um bom desfile na avenida. Ano ‘batemos na trave’ e por um décimo ficamos em segundo lugar. Queremos chegar lá na Avenida e arrebatar esse campeonato”, declara o experiente Mingo Cardoso.

Repórter de A Crítica

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.