Quarta-feira, 05 de Agosto de 2020
música

'Uirapuru': movimento é criado para conectar regentes de todo Brasil

Maestros Hilo Carriel e Daniel Lima reinventam encontros de regentes brasileiros



WhatsApp_Image_2020-06-25_at_13.01.25_0017B07B-40F5-42AD-BE85-123ADE9FC2A6.jpeg Movimento Uirapuru promove reuniões semanais com regentes que compartilham suas experiências com a nova geração de regentes do País
25/06/2020 às 13:10

Em face da pandemia do novo coronavírus, as orquestras precisaram suspender as apresentações presenciais e mergulharam no universo digital. Diante desse cenário de quarentena, com o propósito de conectar e promover intercâmbio de conhecimento entre os regentes do Brasil e estudantes de todo país, os regentes Hilo Carriel e Daniel Lima, inovaram e criaram o Movimento Uirapuru. 

“Já existiam diversos grupos de regentes organizados pelo mundo realizando encontros, mas sempre em inglês e muitas vezes tratando sobre realidades diferentes da nossa. Em abril, após participar de um webinar de regência organizado pelo Peabody Institute e outros alunos convidados, o regente Daniel Lima, do Pará, teve a ideia de organizar outras conversas nesse modelo, porém direcionadas para a realidade brasileira”, explica o maestro amazonense Hilo Carriel. 



Visando criar um projeto com identidade própria voltado para os regentes brasileiros, o Movimento Uirapuru foi concebido com objetivos bem definidos: proporcionar um espaço aberto para a troca de ideias, informações e experiências, criando conexões entre jovens regentes do Brasil e a geração de veteranos. Apesar de existir há apenas dois meses, o projeto já conta com um cadastro com mais de 100 jovens regentes e uma programação com conversas semanais com renomados artistas brasileiros. 

Uirapuru

Planejado para ser um projeto a longo prazo, focado em conectar a nova geração de regentes brasileiros, o Movimento Uirapuru, apesar de recente, já recebeu participantes de todas as regiões do País. 

“O objetivo é conectar esses regentes, pois nossa profissão é muito isolada, onde cada um faz suas escolhas de estudos e segue seu caminho para ascender. Por isso, a proposta é conectar os regentes das futuras gerações, no qual esse grupo atualmente está na faixa de 20 a 35 anos, haja vista que esse crescimento profissional leva muitos anos”, explica Hilo Carriel. 

O projeto tem programação semanal com temas variados sobre regência musical, além de grupos de estudos sobre músicas brasileiras, série com compositores para falar sobre suas obras e encontros com demais regentes a fim de realizar um intercâmbio de conhecimentos. Para acompanhar e saber mais sobre o projeto, acesse a página @movimentouirapuru, pelo Instagram e Facebook.  

Um dos desdobramentos do projeto será a realização de cursos sobre música sinfônica brasileira, que possam gerar um fundo para a equipe possa investir em edições de músicas brasileiras e adquirir materiais que possam proporcionar mais qualidade para as orquestras.

‘Novo normal’

Assim como nos demais segmentos, o mundo pós-pandemia ainda está começando a ser revelado. No entanto, é possível uma certeza: o sistema de funcionamento das orquestras também irá ser diferente.

De acordo com o maestro Hilo Carriel, ainda não é possível afirmar como será o futuro das orquestras, mas, sem dúvidas, durante os primeiros meses de retorno serão grupos bem menores de músicos ocupando o mesmo espaço. “Se antes o normal era ter cerca de 70 músicos compartilhando o mesmo palco, agora vai reduzir para 20 a 25 profissionais, para cumprir as regras de distanciamento social. E isso também vai afetar os tipos músicas que serão tocadas pelas orquestras”, afirma Carriel.

Por outro lado, o maestro avalia um ponto positivo com esse novo cenário. “Será preciso repensar o tipo de repertório e uma das alternativas são os compositores que estão vivos. Essa valorização dos compositores contemporâneos é positiva porque normalmente as orquestras apresentam repertório dentro de uma certa bolha, ou seja, os clássicos, como Beethoven e Mozart, que tem aceitação certa pelo público. Com isso, os compositores vivos normalmente não têm muito espaço e ainda é algo a ser conquistado. Então, vejo com muitos bons olhos essa tendência crescente de valorizá-los. E isso já está acontecendo durante a quarentena, onde estão sendo encomendadas as músicas de acordo com as demandas”, conclui Hilo Carriel. 

Sobre os fundadores do Movimento Uirapuru

Daniel Lima, Bacharel em Regência pela Universidade do Estado do Pará. Mestrando em Regência pelo Peabody Institute - Johns Hopkins University

Hilo Carriel, Bacharel em Regência pela Universidade do Estado do Amazonas. Mestre em Regência pelo Peabody Institute - Johns Hopkins University
 

Maestro Hilo Carriel é um dos idealizadores do projeto Uirapuru

Regente Daniel Lima (PA) participou da fundação do Movimento Uirapuru

Repórter de A Crítica

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.