Quinta-feira, 20 de Janeiro de 2022
Revista

Estúdio amazonense lança HQ inspirada no povo Manao

No enredo da revista, a ser lançada no dia 26 de novembro, um guerreiro Manao chamado Maucky se torna o guardião de seu povo contra as ameaças do mundo místico



MISTICA_AMAZONIA_CAPA_BF99E8EA-01E1-49CD-BB19-5C803D772C6A.jpg (Foto: Divulgação)
21/11/2021 às 16:07

O estúdio amazonense Black Eye, que produz histórias em quadrinhos, lança no próximo dia 26, a HQ "Mística Amazônia”, uma aventura voltada ao público juvenil e inspirada no povo Manao e em lendas amazônicas. A revista que será colorida e terá um formato pequeno, conta a saga do guerreiro Manao, Maucky, que se torna o guardião de seu povo contra as ameaças do mundo místico e para isso conta com o Tacape de Ghüa, uma arma com poderes sobrenaturais.

“Mística Amazônia” estará disponível para venda na Banca do Largo e também pelo Instagram do estúdio @blackeyeestudio, para vendas online, a partir do dia 26 de novembro. Nos dias 26, 27 e 28 acontecem o "3° Quadrinhos no Largo”, evento voltado à produção de Quadrinhos locais, que reunirá artistas do segmento em frente à Banca do Largo São Sebastião. O primeiro dia de evento será marcado pelo lançamento de Mística Amazônia, contando com a presença dos autores.   

A arte fica por conta do ilustrador, Tieê Santos, que recentemente foi indicado a duas grande premiações nacionais, o Troféu HQMix e o prêmio Jabuti de Literatura, por seu trabalho na HQ “Ajuricaba”, também do estúdio Black Eye. O roteiro é do estreante Raphael Russo, que já fazia parte do estúdio, mas ainda não havia roteirizado antes.

Segundo Tieê, a ideia de Mística Amazônia surgiu de uma brincadeira que ele fez com a série animada "He-Man e os Mestres do Universo". “Eu comecei a brincar, fazendo ilustrações de uma versão amazônica de He-Man e recebi um feedback muito bom nas redes sociais. Então, o Ademar Vieira, meu parceiro no estúdio, teve a ideia de criarmos uma série a partir disso, mas é claro, se afastando mais do He-Man e criando um universo próprio apenas com elementos amazônicos”, contou o ilustrador.

Sobre a primeira história de Mística Amazônia, Raphael Russo diz que é basicamente uma apresentação do universo e de como Maucky conseguiu se tornar o detentor do Tacape de Ghüa. “Neste universo, as criaturas místicas e divindades não concordaram com a criação da humanidade e tentam destruí-la. Akeghuny, o grande criador, então divide os mundos, mas alguns seres místicos ainda conseguem vir para o mundo dos humanos. Para que os povos da floresta possam se defender, Akeghuny envia armas místicas, uma para cada povo e Maucky se torna o guardião do povo Manao”, explica.

Língua Manao

Quando o estúdio produziu a HQ Ajuricaba em 2019, que conta a saga do líder Manao que resistiu à colonização portuguesa no século 18, os artistas fizeram uma extensa pesquisa e se depararam com o registro de 140 palavras da língua Manao, que foi extinta há mais de 200 anos. Essas palavras foram utilizadas em Ajuricaba e também serão usadas em Mística Amazônia como forma de resgate cultural. “Trazer palavras da língua do povo originário da cidade de Manaus para a cultura pop local é algo extremamente relevante. Acho que vai trazer mais identificação e orgulho aos manauara que entrarem em contato com as nossas HQs”, defende Russo.



News portal1 841523c7 f273 4620 9850 2a115840b1c3
Jornalismo com credibilidade

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.