Publicidade
Eleições
FAKE

‘Fake news’ confunde eleitorado com boatos espalhados pelas redes sociais

Redes sociais e blogs são utilizados na campanha para governador tampão como instrumento para espalhar notícias falsas 12/08/2017 às 05:00
Show capturar
Geizyara Brandão Manaus (AM)

A primeira semana do segundo turno das eleições suplementares para governador do Amazonas, assim como o primeiro turno, foi marcada pela proliferação de “fake news” – notícias falsas – que são veiculadas, principalmente, na internet.

A exemplo disso, um portal de notícia local veiculou que o governador cassado José Melo (PROS) voltaria na próxima terça-feira ao comando do Amazonas por decisão do ministro Luís Roberto Barroso. Na reportagem é destacado ainda que o candidato da coligação “União pelo Amazonas”, Eduardo Braga (PMDB) não teria interesse em manter o curso das eleições diante de uma possível derrota.

Em relação a apoios, um convite falso circulou nas redes sociais e no Whatsapp que o Partido Progressista (PP), que lançou a candidata Rebecca Garcia no primeiro turno estaria participando e convocando militantes para migrar para a chapa Eduardo Braga e Marcelo Ramos (PR). De acordo com o presidente estadual do PP, Francisco Garcia, o partido se mantém neutro como anunciado anteriormente e que não conhece a procedência da disseminação do suposto “convite”.

“Foi decidido desde o primeiro dia que o PP não faria aliança com nenhum dos dois candidatos. Não sei quem colocou (o convite). Não estamos com o 12, nem com o 15”, enfatizou o presidente do PP.

Garcia ressaltou que os militantes estavam à vontade para declararem seu apoio para quaisquer uma das duas chapas que concorrem ao segundo turno do pleito. “O partido liberou os prefeitos, os vereadores. O partido liberou todos eles a seguir o que eles achassem que seria melhor para os seus municípios”, explicou.

O vereador, da CMM,  Álvaro Campelo (PP) também desmentiu que o partido estaria apoiando a candidatura de Braga e reafirmou a neutralidade por meio das redes sociais.

Boatos

De acordo com a social media planner - que elabora o planejamento das mídias sociais, Chrys Braga, existe um sistema dentro das campanhas que, por vezes, são utilizadas para espalhar os boatos dos adversários nas redes sociais. “A maioria das candidaturas hoje em dia possuem um núcleo, não ligado diretamente à campanha, que trabalha o que chamamos de "lado B", que faz essa guerrilha e espalha boatos por grupos de WhatsApp e por meios de blogs e paginas, normalmente recém-criados ou de baixa credibilidade”, disse.

Para a social media, a diferença entre os veículos de comunicação é a apuração. “Cabe ao leitor saber fazer esse crivo. Quanto aos profissionais dos veículos sérios, a prioridade deve ser a notícia completa, apuração. Esse é o diferencial”, enfatizou Chrys Braga.

Candidatos fisgam apoios de filiados de siglas neutras

Durante a semana que sucedeu a realização do primeiro turno das eleições suplementares do Amazonas, alianças foram costuradas com uma enxurrada  de militantes de partidos que se consideraram neutros.

O candidato Eduardo Braga (PMDB) se reuniu ontem com cerca de 500 pessoas, em uma universidade particular, para apresentar os novos aliados da capital e interior na campanha da coligação “União pelo Amazonas”. Na segunda-feira, parlamentares que apoiavam Rebecca Garcia (PP) no primeiro turno declararam apoio à chapa dele.

O líder do governo na Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (ALE-AM), Sabá Reis (PR), falou em nome dos parlamentares estaduais durante o evento. “Eu vou dizer uma coisa que o general Leonidas costuma falar, para quem não sabe é o Eron Bezerra (PCdoB): a gente não faz alianças com quem a gente já convive, a gente faz aliança com quem é diferente”, disse o deputado.

Sabá Reis, que estava com Rebecca Garcia na primeira etapa do pleito, repetiu por diversas vezes a frase “o 11 agora é 15”, em referência ao número usado pela candidata nas urnas e ao de Braga.

O secretário do PMDB, Miguel Capobiango, esclareceu que alguns militantes do PP já estavam na campanha de Braga, assim como conseguiram agregar participantes do PT, que deve decidir hoje a questão de apoio.  “Houve uma aliança dos diretórios municipais, lideranças do PP municipais, na verdade, que demonstraram o apoio e já se compuseram municipalmente com a nossa chapa”, disse. A direção do PP, contudo, nega a adesão a campanha.

Na quinta-feira, Amazonino (PDT), arregimentou  o apoio de mais da metade de vereadores, inclusive de partidos como o PT, PHS e PODE que concorreram no primeiro turno.

Comentário:  Chrys Braga, Social Media Planner

“As fake news são usadas por grupos de guerrilha das campanhas para confundir o eleitor e pegar os eleitores/leitores mais desavisados. Os candidatos devem usar seus canais digitais como vacina às fake news. Quanto mais transparente ele (candidato) for, mais fácil de se defender da boataria. Os leitores devem criar o hábito de ler matérias de fontes confiáveis e, principalmente, realmente ler as matérias na íntegra. Muitas vezes as guerrilhas usam do artifício de chamadas sensacionalistas para pegar os desavisados, mas na matéria você vê que a história é diferente. O profissional de comunicação é fundamental numa campanha eleitoral, 24h por dia, para tentar evitar ou se antecipar à boataria, ou para o gerenciamento de crises”.

Advogado desmente notícia

O advogado do governador cassado José Melo (PROS), Yuri Dantas, afirmou que é preciso que todos tenham o cuidado com a prática da “fake news”. “Como a internet, hoje em dia é abrangente, acaba tendo a oportunidade de dizer o que quer, a hora que quer. Não necessariamente de forma crível e não necessariamente de forma responsável”, ressaltou.

Em relação à notícia veiculada, o advogado afirma que conhece os processos e que não há a possibilidade de serem julgados na terça-feira. “Evidentemente que essa notícia não partiu de mim, nem do meu escritório e nós temos cuidado demais para não divulgar qualquer ato que seja da nossa competência, nossa atribuição quanto advogados desse ou daquele outro cliente que não tenha comprovação”, disse.