Quinta-feira, 20 de Janeiro de 2022
Ação da PF e Ibama

Garimpeiro chora ao ver balsa em chamas no rio Madeira

Garimpeiros foram para as redes sociais pedir ajuda humanitária. Disseram ter ficado sem dinheiro e até roupas após terem as balsas queimadas



balsa_C1AE7E63-AA55-46D3-B5D7-4E033B12B941.jpg Foto: Reprodução
28/11/2021 às 13:15

Em um vídeo publicado nas redes sociais por um garimpeiro do rio Madeira, uma balsa aparece em chamas na margem do afluente. A draga era uma das cerca de 30 que foram queimadas durante operação deste sábado (27) comandada pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e Polícia Federal.

“Olha aí, pessoal, a desgraça que estão fazendo aqui. Pô, se tivesse ao menos um pau, né , cara [para tentar dispersar as chamas]. Meu Deus do céu”, diz o homem com a voz embargada.

A ação deste sábado ocorreu após veículos como A CRÍTICA noticiarem na quarta-feira (24) o avanço de cerca de 300 balsas em busca de ouro no rio Madeira, nas proximidades de Autazes. Apesar de os órgãos de controle terem sido avisados, a maioria das dragas deixaram o local na sexta-feira, antes que a fiscalização iniciasse.

No sábado, os garimpeiros que continuaram no local perderam as balsas. Segundo o Estadão, o procedimento do Ibama e da PF era tirar foto dos documentos dos suspeitos, liberá-los e depois atear fogo nas dragas.

O ato de incendiar as embarcações é similar ao realizado pelo Ibama durante apreensões de tratores utilizados para desmatamento. O órgão alega não ter condição financeira de transferir as aparelhagens e, para evitar o novo uso dos materiais, ateia fogo em tudo.

Desabrigados

Após a operação, dezenas de garimpeiros tomaram as redes sociais para pedir ajuda humanitária. Disseram ter ficado sem dinheiro e até roupas. Em um dos vídeos, um homem fala enquanto mais de 20 pessoas, incluindo crianças, ficam ao redor.

“Queremos aqui pedir o apoio do nosso prefeito de Manicoré para solicitar uma ajuda para nós, que nós estamos aqui no Rosarinho [comunidade de Autazes]. Por favor, mandar um barco ou autorizar alguém para levar a gente, por favor. Muitos pais de família aqui, crianças, a gente tá passando necessidade”, diz o homem.

Outro vídeo que circula entre os garimpeiros mostra moradores da comunidade Rosarinho, próximo de onde algumas balsas foram queimadas, distribuindo lençóis e alimentos para os que tiveram as balsas queimadas. Eles recebem os itens enquanto se preparam para dormir em redes.




Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.