Segunda-feira, 25 de Maio de 2020
INICIATIVA

Centros de Convivência lançam campanha de combate ao abuso e exploração sexual infantil

Coordenada pela Seas, a campanha virtual no Estado traz como slogan “Isolamento social sim, violência contra crianças e adolescentes não!”



CAMPANHA_A9DE8CCC-BA19-4459-9064-1E0DD52292EC.jpg Foto: Miguel Almeida/Seas
17/05/2020 às 18:23

Uma ação diferenciada, com atividades e ações virtuais por conta pandemia do novo coronavírus, está sendo realizada pelos Centros Estaduais de Convivência da Família (CECFs) e do Idoso (Ceci), administrados pela Secretaria Estadual de Assistência Social (Seas), para marcar o Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes, celebrado nesta segunda-feira, dia 18 de Maio.

Coordenada pela Seas, a campanha no estado traz como slogan “Isolamento social sim, violência contra crianças e  adolescentes não!”. Com o foco em estratégias de cuidados com as crianças em tempos de coronavírus, o Governo do Estado aderiu à campanha que objetiva sensibilizar a sociedade no combate ao abuso e à exploração de crianças e adolescentes, conscientizando a todos sobre a importância de proteger essa parcela social.



Interação

O Centro Estadual de Convivência do Idoso (Ceci), situado no bairro Aparecida, zona sul de Manaus, lançou a campanha na última segunda-feira (11/05) pedindo para que os usuários mandassem fotografias com uma flor amarela. A mensagem é simbolo de apoio a campanha.

A diretora do espaço, Ítala Rodrigues, explica que vários idosos aderiram. As fotos estão sendo postadas no Facebook do Ceci, com o símbolo disponibilizado pela Seas (canoa com as crianças). “A gente está postando para mostrar que eles estão cientes da campanha e estão abraçando a ideia”, disse.

Outra forma que o Ceci encontrou para divulgar a campanha foi por meio do WhatsApp, direcionado aos idosos que fazem parte dos sete grupos de convivência. O grupo está em isolamento social por causa da pandemia. Levando isso em conta, a equipe de psicologia e serviço social do centro está realizando um trabalho de atendimento à distância, por meio de ligações telefônicas, voltado aos idosos da unidade, de modo que eles não se sintam tão sozinhos durante a pandemia.

Ítala Rodrigues disse que no período de 11 a 18 deste mês a equipe técnica está trabalhando essa temática junto aos idosos com vídeos, frases e imagens sobre a campanha; reforçando os canais de denúncia, como proteger as crianças e adolescentes que estão dentro de casa por conta da pandemia. “Na segunda-feira (18), às 16h farei uma live no Facebook do Ceci falando dessa temática”, informou.

No Japiim

O Centro Estadual de Convivência da Família 31 de Março, no Japiim, zona sul, também está mobilizando seus usuários. “Não temos como fazer atividade presencial por conta da pandemia, logo, as estratégias de enfrentamento que nós encontramos foi trabalhar com os nossos idosos e com o nosso grupo de mulheres para tratar sobre essa questão no que se refere a exploração sexual de crianças e do adolescente, e também no enfrentamento da violência doméstica”, informou a diretora Mirleide Freitas.

Ela lembra que são vários os tipos de violência que as crianças sofrem, principalmente nesta época de isolamento social, quando muitas poderão estar sendo aliciadas e até violentadas por estarem em contato com o próprio agressor em casa.

A psicóloga Ziza Pinho, que atua do CECF do Japiim, disse que a participação dos avós contando histórias aos netos (jovens e adolescentes), envolvendo o tema por meio de suas experiências de vida, é muito importante para dar dicas de como se prevenir de agressões físicas e psicológicas. A experiência foi inspirada no personagem Dona Benta, da obra Sítio do Pica-Pau Amarelo, de Monteiro Lobato.

“Foi em cima disso que pensamos em fazer essa campanha visto que não podemos fazê-la pessoalmente, dando a ideia de que cada idoso pode fazer o seu vídeo e nós compartilhamos por meio das mídias sociais, dos grupos”.

Mutirão

O Centro Estadual de Convivência da Família Teonízia Lobo, localizado no Mutirão, zona leste, também está participando da campanha, via WhatsApp e redes sociais. A diretora Anália Mota disse que o CECF está utilizando o Facebook e os grupos para transmissão de mensagens e vídeos sobre o tema, que serão intensificadas na segunda-feira, dia 18.

Alvorada

Na segunda-feira (18), o  Centro  de Convivência Maria de Miranda Leão, no bairro Alvorada, zona centro-oeste, inicia uma programação online pela parte da manhã, voltado aos grupos de convivência dos envelhescentes e idosos. Vídeos com orientações e informações sobre o tema; bate papos, música temática, e atividades com perguntas sobre a problemática apresentada, compõem a programação. “As atividades serão desenvolvidas pela nossa equipe de psicólogos e assistentes sociais, por meio do WhatsApp com a participação dos grupos Alegria, Mais Ativos e Estimulando a Memória”, informou a diretora Kelly Tavares.

Magdalena Arce Daou

A equipe técnica composta por psicólogas, assistentes sociais e pedagogas do Centro de Convivência Magdalena Arce Daou preparou uma programação que iniciou na sexta-feira (15/05) e se estende até segunda-feira (18/05). A diretora Leila Sampaio informou que a campanha Maio Laranja, cuja temática é o combate ao abuso e a exploração sexual de crianças e adolescentes, aborda questões do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) de forma pedagógica, lúdica e participativa, com vídeos e uma enquete interativa, que será disponibilizada por meio das redes sociais.

“Estamos dando esclarecimentos sobre a Lei de Escuta número 13.431/2017 com orientações sobre a proteção integral à criança e ao adolescente durante a Pandemia do Covid- 19, conforme recomendações do Conselho Regional da Criança e do Adolescente”, disse.

O CECF Magdalena Arce Daou fica  na avenida Brasil, no bairro do Santo Antônio, zona oeste de Manaus.

 

Ação diversificada

O Centro Estadual de Convivência da Família Padre Pedro Vignola, no bairro Cidade Nova, zona norte, dirigido por Elizabeth Maciel, e o Centro Estadual de Convivência da Família André Araújo, situado no bairro da Raiz, zona sul, que tem como diretora Cibele Freitas, não estão participando da campanha do Dia 18 de Maio. As diretoras e toda a equipe técnica dos dois CECFs estão trabalhando na linha de frente dos abrigos emergenciais criados pelo Governo do Estado, por meio da Seas, para atendimento da população em situação de rua neste período de pandemia.

Faça Bonito

Projeto de âmbito nacional, o “Faça Bonito” comemora em 2020, os 30 anos de criação do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) e 20 anos de criação do Plano Nacional de Enfrentamento da Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes. A proposta é mobilizar, sensibilizar, informar e convocar toda a sociedade a participar da luta em defesa dos direitos de crianças e adolescentes.

Dia 18 de maio

O dia 18 de Maio é uma conquista que demarca a luta pelos Direitos Humanos de Crianças e Adolescentes no território brasileiro.

Esse dia foi escolhido porque em 18 de maio de 1973, na cidade de Vitória (ES), um crime bárbaro chocou todo o país e ficou conhecido como “Caso Araceli”. Esse era o nome de uma menina, de apenas oito anos de idade, que teve todos os seus direitos humanos violados. Foi raptada, estuprada e morta por jovens de classe média alta daquela cidade. O crime, apesar de sua natureza hedionda, até hoje está impune.

Principais canais de denúncia:

Disque 100

Delegacias

Conselhos Tutelares nos municípios

News portal1 841523c7 f273 4620 9850 2a115840b1c3
Jornalismo com credibilidade

Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.