Sexta-feira, 27 de Novembro de 2020
ECONOMIA

Auxílio emergencial será estendido por 3 meses, diz Guedes

Ao participar de audiência pública virtual do Congresso, Guedes reconheceu que o déficit primário deste ano deve ser alto, e estimou que ele provavelmente passará de 15% do Produto Interno Bruto (PIB)



ADRIANO_MACHADO_2BA5BF12-B8AC-455C-B36F-2C0A107B174C.JPG Foto: Adriano Machado
30/06/2020 às 13:40

O ministro da Economia, Paulo Guedes, disse nesta terça-feira (30) que o auxílio emergencial será estendido por três meses, mas não deu imediatamente detalhes sobre o valor do benefício.

Ao participar de audiência pública virtual do Congresso, Guedes reconheceu que o déficit primário deste ano deve ser alto, e estimou que ele provavelmente passará de 15% do Produto Interno Bruto (PIB). Ele também afirmou ter receio de que a dívida bruta passe de 100% do PIB.



Por outro lado, o ministro afirmou que, após um “total colapso” em abril, a arrecadação em maio subiu dois dígitos em relação ao mês anterior e, em junho, avançou num ritmo ainda mais alto nos primeiros 15 dias.

Guedes também afirmou que o secretário especial de Receita, José Tostes Neto, lhe relatou na véspera que a arrecadação deste mês já supera a observada no mesmo mês do ano passado. Esses sinais, segundo Guedes, o fazem acreditar que qualquer previsão para o PIB brasileiro “é chute”.

“Eu não diria hoje que PIB do Brasil vai cair 9%, 10%. Também não digo se vamos sair crescendo rápido. O que eu digo é que temos ainda a chance de fazer uma recuperação econômica bem mais rápida do que todo mundo está prevendo”, afirmou.

Tudo sobre o Coronavírus



Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.