Terça-feira, 14 de Julho de 2020
MANAUS

Hospital de combate ao covid-19 inaugura ala indígena com 53 leitos na terça (26)

Articulação para a abertura dos novos leitos foi feita pelo Ministério da Saúde e Governo do Estado do Amazonas. Ministro interino, Eduardo Pazzuelo, e o secretário especial de saúde indígena, Robson Silva, vem a Manaus para a entrega



show_1__1__D5EC9BAB-5BC7-4AAA-A475-D25C97754A2A.jpg Foto: Divulgação
24/05/2020 às 09:54

O Secretário Especial de Saúde Indígena do Ministério da Saúde, Robson Santos da Silva, representa o ministro interino da Saúde, Eduardo Pazuello, na inauguração da Ala Indígena no Hospital Nilton Lins, nesta terça-feira, 26 de maio, às 10h, em Manaus (AM).

Esta é primeira ala voltada para o atendimento de pacientes indígenas com COVID-19 no Estado do Amazonas. A articulação para a abertura dos novos leitos foi feita pelo Ministério da Saúde e Governo do Estado do Amazonas.



O Hospital Nilton Lins foi inaugurado em 18 de abril com 95 leitos para tratamentos de pacientes com COVID-19. A Ala Indígena que será inaugurada terá 53 leitos; sendo 33 leitos clínicos, 10 Unidades de Tratamento Intensivo (UTI) e 5 Unidades de Cuidados Intermediários (UCI) com possibilidade de expansão.

Também terá posto de enfermagem, área de expurgo, área de higienização, banheiros, recepção e área administrativa. Um espaço de espiritualização será destinado aos pajés - líderes espirituais dos povos indígenas – e outra área será destinada para armação de redes nas enfermarias clínicas, respeitando a cultura de cada etnia.

A Ala Indígena será voltada exclusivamente para os indígenas que vivem em aldeias. As transferências para a ala destinada aos pacientes indígenas com COVID-19 serão realizadas por meio da Central de Regulação do Amazonas.

Os pacientes que necessitarem de remoção serão incluídos em uma fila composta apenas por indígenas e serão removidos com base na avaliação clínica de médicos e enfermeiros da Central.

Enfrentamento no Amazonas

O Governo Federal enviou mais de R$ 213 milhões ao Estado do Amazonas para o enfrentamento da COVID-19. Sendo R$ 78 milhões para o Fundo Estadual de Saúde; R$ 2,6 milhões para o Hospital Getúlio Vargas e R$ 132,4 milhões para os municípios. No total, foram mais de 1,5 milhão de EPI, 232 mil testes para COVID-19; 176 mil testes rápidos; 110 respiradores; 1,3 milhão de vacinas contra gripe e 438 mil caixas de medicamentos.

O Amazonas é o Estado brasileiro com a maior quantidade de indígenas. De acordo com o IBGE, o Estado tem 183.514 indígenas. Desses, 70% vivem em aldeias.
A Ministério da Saúde, por meio da SESAI, entregou, em 17 e 18 de maio, duas toneladas de equipamentos para os Hospitais de Guarnição dos municípios de Tabatinga e São Gabriel da Cachoeira (AM) para reforço no combate à COVID-19. Foram entregues respiradores desfibriladores, insumos, medicamentos e Equipamentos de Proteção Individual (EPI).

O Ministério da Defesa também deslocou, temporariamente, onze profissionais de saúde do Hospital Militar de Área de Brasília para reforçar o atendimento à população no Hospital de São Gabriel da Cachoeira (AM). São duas médicas; uma fisioterapeuta; duas enfermeiras e seis técnicas de enfermagem.

*Com informações da assessoria

News portal1 841523c7 f273 4620 9850 2a115840b1c3
Jornalismo com credibilidade

Tudo sobre o Coronavírus



Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.