Terça-feira, 14 de Julho de 2020
ALERTA

Em 15 dias, número de mortes entre indígenas aumenta 800% no Brasil

Levantamento foi divulgado pela Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (APIB). Lideranças indígenas se sentem ameaçados pela doença, e também criticam Governo Federal por não prestar auxílio devido



ATIX-20-Anos-Kuikuro-Foto-M_rio-Vilela-_-FUNAI-1024x664_8CDAFB8E-008C-46C3-9D72-50059980FDF4.jpg Foto: Mario Vilela/Funai
24/04/2020 às 09:16

As mortes de indígenas contaminados por Covid-19 aumentaram 800% em 15 dias, durante o mês de abril. Foram 9 casos registrados entre os dias 6 e 21 deste mês, um salto no número de casos comparado com o mês de março, que registrou a primeira morte pela doença de uma indígena do povo Borari, de 87 anos, no município de Santarém, Pará. Levantamento foi divulgado pela Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (APIB), e tem como base dados do Ministério da Saúde, por meio da Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai), mas também de secretarias estaduais e municipais, além de contato direto com lideranças indígenas.

A Associação que representa mais de 35 etnias indígenas no Brasil  esclarece que este dado pode ser ainda maior se outros óbitos que estão como casos suspeitos tiverem exames confirmados para doença. Desde o ínicio da pandemia o país possui dados oficiais que não contemplam as subnotificações. De acordo com o Ministério da Saúde, a subnotificação ocorre pela ausência de testes em massa.

Dos 10 casos registrados pela Apib até hoje (23), apenas 4 são contabilizados pela estatística da Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai), do Ministério da Saúde.

A Associação emitiu uma nota lamentando as subnotificações e o fato da Sesai não acompanhar e registrar os indígenas que vivem nas cidades fora dos territórios tradicionais: "É um ato de racismo institucional", classifica a Associação. No comunicado divulgado à imprensa, a Apib afirma ser contra a portaria 070/2004, que estebeleceu critérios diferenciados para atendimento de indígenas que moram em centros urbanos.



"A Apib orienta que os parentes que vivem fora dos territórios ou que estão nas cidades para realizar tratamento para Covid-19 exijam que no cadastro do SUS seja registrado seu atendimento como indígena, indicando o nome do seu povo" diz trecho do documento.

A associação cita um estudo divulgado ontem (23), em que alerta que aproximadamente  81 mil indígenas estejam em situação de extrema vulnerabilidade no Brasil durante a pandemia da Covid-19. 

Um site foi criado para reunir informações sobre a pandemia nas aldeias, acesse clicando aqui

News portal1 841523c7 f273 4620 9850 2a115840b1c3
Jornalismo com credibilidade

Tudo sobre o Coronavírus



Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.