Sábado, 04 de Julho de 2020
TESTES

Apesar de maior número de casos, AM recebe menos testes da covid-19

Com menos casos positivos para Covid-19, estados como Pernambuco, Pará, Espirito Santo, Maranhão e Goiás irão receber mais kits do Governo Federal que o Amazonas



capa_9CD6DDC3-17A3-441D-95C8-1D22BAC742D7.jpg Foto: Divulgação
02/04/2020 às 12:39

O Amazonas começa a receber do Ministério da Saúde kits de testes para detecção do novo coronavírus (Covid-19) a partir desta quinta-feira (2). Do primeiro lote, de um total de 4 milhões que devem ser enviados aos estados até o fim de abril, o sistema de saúde do AM deve receber 10.458 testes, incluindo o rápido (8.586) e o teste molecular RT-PCR, que terá 1.872 do tipo disponíveis para o estado.

Os testes devem atender aos profissionais que atuam nos serviços de saúde de todo o país, além de agentes de segurança, como policiais civis e militares, bombeiros e guardas civis com sintomas de síndrome gripal.

Todos os dados referentes a quantidade de óbitos nesta reportagem levam em conta os números oficiais até esta quarta-feira (1º). Apesar de registrar mais que o dobro de casos confirmados do novo coronavírus a mais que o estado do Pernambuco, por exemplo, o Amazonas, com 200 casos, irá receber menos quantidade de testes que o estado do nordeste. Espírito Santo, Maranhão, Goiás e Pará, também estão à frente do AM na quantidade de testes enviados pelo Ministério da  Saúde, conforme balanço feito pela reportagem baseado em dados públicos de saúde divulgados nessa quarta-feira (1º).

Com 95 confirmados, Pernambuco irá receber 22 mil testes, incluindo o rápido e o RT, capaz de observar a estrutura molecular do vírus e identicar se é covid-19. Maranhão, com 54 casos confirmados recebe 15 mil no primeiro lote que começa a ser entregue hoje. No Centro-Oeste, Goiás confirma 71 casos da doença, e irá receber quase 16 mil kits de testagem.

O estado do estado do Pará, que possui 40 casos confirmados e vai receber o total de 18 mil testes, sendo 14.806 do tipo rápido e 3.384 do RT-PCR, também ficou à frente do Amazonas, que já chegou aos 200 casos confirmados da doença.



A reportagem de A Crítica procurou o Ministério da Saúde para que explicasse quais foram os critérios utilizados na definição da quantidade dos testes a serem enviados aos estados e aguarda resposta. 

O Amazonas também registrou três óbitos causados em decorrência do vírus, diferente do Espírito Santo, que até o momento registrou uma morte apenas, já nesta quinta-feira, quando os testes já havia sido divididos.

Hoje (2), a FVS-AM atualizou o número de casos no estado para 229 casos confirmados.

Leia mais >>> Fugitivo do Compaj é executado com 17 tiros após ter casa invadida

No início de março, o Amazonas recebeu 500 kits do Ministério da Saúde para dar início aos exames. O Governo do Amazonas também anunciou a aquisição de 60 mil testes rápidos no mesmo período e, ainda assim, afirmou que a quantidade ainda é insuficiente pra demanda que pode ocorrer no sistema público de saúde do estado. 

Ontem (1º), o secretário de saúde do Amazonas, Rodrigo Tobias, explicou que os kits estavam aguardando condições de tráfego, como a disponilbilidade de aviões comerciais, para que o material chegue até o estado. Procurado, ontem (1º), o Ministério da Saúde confirmou que a carga está a caminho de Manaus e depende apenas de horários de voos comerciais disponíveis. 

Leia mais >>> Chegada do novo coronavírus na zona rural causa preocupação em Parintins​

Ao contrário dos estados do Sudeste, Centro-Oeste e Sul, que receberam os testes rápidos por voos da Força Aérea Brasileira (FAB), o governo federal informou em nota à imprensa que o envio para estados do Nordeste e Norte acontece, preferencialmente, com voos domésticos. Durante coletiva de imprensa nessa quarta-feira (1º), o ministro da Saúde, Rodrigo Mandetta, incluiu os decretos estaduais que impedem o tráfego de aeronaves como um dos impecílios na chegada do material nos estados.

No Amazonas, o decreto que estipula restrições de circulação não prevê impedimento de voos nacionais, nem tampouco com materiais essenciais, como medicamentos. 

Leia mais >>> Alunos da área de saúde poderão ajudar no combate ao coronavírus​

Eficácia

Da quantidade de testes rápidos enviados pelo Ministério da Saúde, o Amazonas recebe, neste primeiro lote, cerca de 8.586 testes rápidos. O estado também irá receber 1.872 do tipo que detecta a doença logo no íncio, o RT-PCR. Diferente do teste rápido, que detecta se a pessoa possui anticorpos, o teste RT-PCR analisa a moléluca do material coletado para observar a presença do vírus. O resultado pode demorar 10 horas a mais que o teste rápido, que em menos de 3 minutos é possível obter resultado.

De acordo com o Ministério, a previsão é de entrega de 1 milhão de testes por semana. Do montante de 500 mil testes já recebidos, parte vão compor uma reserva técnica do MS.

Levantamento

Conforme último boletim do Ministério da Saúde, divulgado nessa quarta-feira (1º), as mortes causadas por coronavírus estão localizadas nos estados do Amazonas (3), Pará (1), Rondônia (1), Alagoas (1), Bahia (2), Ceará (8), Maranhão (1), Paraíba (1), Pernambuco (8), Piauí (4), Rio Grande do Norte (2), Minas Gerais (3), Rio de Janeiro (28), São Paulo (164), Distrito Federal (3), Goiás (1), Mato Grosso do Sul (1), Paraná (3), Rio Grande do Sul (4) e Santa Catarina (2). Todas as regiões brasileiras têm casos de mortes confirmadas por coronavírus.

Apenas os estados do Acre, Amapá, Roraima, Tocantins, Sergipe, Espírito Santo e Mato Grosso não têm, até o momento, mortes confirmadas pela doença, mas também registram casos confirmados, assim como todos os demais estados brasileiros.

Repórter

Tudo sobre o Coronavírus



Mais de Acritica.com

Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.