Segunda-feira, 21 de Setembro de 2020

Meu amor e respeito para as mães que perderam filhos vítimas da Covid-19

Acredito que é uma dor indescritível, Deus as abençoe enormemente, sinto sua perda


Meu dia número 53 no isolamento social começou com uma tapioca caboquinha e uma xícara de café negro. Em Manaus, conheci o tucumã. A primeira vez que o comi não gostei, mas depois de que me falaram que o tucumã é uma fruta rica em ômega 3, com altos níveis de vitamina A, C e fonte de cálcio, magnésio e potássio, comecei a achar ele muito gostoso.

Para comemorar o Dia das Mães, também comerei tucumã no café da manhã. Estou ciente que manter uma alimentação equilibrada ajuda mesmo a fortalecer o sistema imunológico. Embora que não exista comprovação de que os alimentos ajudam a não contrair a COVID-19, se o sistema imunológico está forte, o organismo naturalmente fica mais disposto a lutar contra o vírus, em casos positivos para a doença.

Este domingo 10 de maio, muitas mães não vão comemorar. Muitas não vão tomar uma tapioca caboquinha como café de manhã, para se cuidar.  Meus respeito para todas as mães que perderam seus filhos vítimas da Covid-19, é um sentimento muito forte, uma tristeza enorme, eu sei.

Meus pêsames de todo coração. Eu tenho dois filhos e estou no Brasil, principalmente para que eles tenham a possibilidade de uma vida melhor do que em nosso pais, Venezuela. Eu sei quanto uma mãe pode se sacrificar para dar um jeito para que seu filho fique bem. As abraço forte.

Uma mãe é amor, paciência, dedicação, força, sabedoria e muitas vezes renuncia a si própria, mas é gratificante. A perda de um filho por coronavirus é uma vivência que nos mostra quanto frágeis a gente é.

Acredito que é uma dor indescritível. Por isso, eu oro por vocês mães em luto e peço a Deus que as abençoe enormemente.


Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.