Quarta-feira, 28 de Outubro de 2020

Um Lobo chamado Edu: 10 grandes sucessos

Em seu artigo deste mês, o músico amazonense Abner Viana fala sobre o trabalho do cantor, compositor e arranjador que acaba de completar 77 anos


14/09/2020 às 13:30

Por Abner Viana* 


Eduardo de Góes Lobo, mais conhecido como Edu Lobo, acaba de completar 77 anos de vida. Cantor, compositor e arranjador, nasceu no Rio de Janeiro, em 29 de Agosto de 1943. Filho do compositor, jornalista e radialista pernambucano Fernando de Castro Lobo (1915-1996), Edu iniciou na música tocando acordeão, mas acabou se interessando pelo violão. 
Em sua carreira (início dos anos 60’), foi profundamente influenciado pela Bossa Nova, e, com o decorrer daquele tempo, adotou uma postura ideológica mais político-social, refletindo os anseios de uma geração reprimida pela ditadura militar brasileira. E, foi nessa época, que Edu se lançava na mídia e no meio artístico participando de vários festivais de música popular.
Para o leitor desta coluna, apenas um aperitivo de informações adicionais, pois meu objetivo será o de que você possa buscar e ouvir os dez hits de minha indicação para que conheça um pouco mais da essência de Edu Lobo.
Ele obteve o primeiro prêmio no 1º Festival de Música Popular Brasileira (1965), com Arrastão. A canção foi composta em parceria com Vinicius de Moraes (1913-1980) e foi interpretada por nada mais e nada menos que Elis Regina (1945-1982).

Em 1967 venceu com “Ponteio” - parceria com José Carlos Capinan (1941), interpretada pelo próprio Edu ao lado de Marília Medalha (1944) - o Terceiro Festival de Música Popular Brasileira da TV Record.
Edu dedicou-se a compor trilhas para espetáculos teatrais, entre eles o conhecidíssimo Arena Conta Zumbi, ao lado de Gianfrancesco Guarnieri (1934-2006). Daí em diante, passou uma temporada nos EUA e quando retornou ao Brasil retomou várias parcerias musicais, entre elas a com Chico Buarque (1944), para compor novos trabalhos.

Aqui vão as minhas grandes 12 melhores pérolas do compositor (obviamente que é uma tarefa super difícil de eleger apenas 12 de uma vasta obra, na qual Edu só aumenta o baú de seu trabalho compondo até hoje:

1) VENTO BRAVO
2) CASA FORTE
3) CHÔRO BANDIDO
4) BEATRIZ
5) PONTEIO
6) PRA DIZER ADEUS
7) SÓ ME FEZ BEM
8) REZA
9) ALELUIA
10) UPA NEGUINHO
11) ARRASTÃO
12) CORRUPIÃO

 

 

* Natural de Manaus (AM), Abner Viana é músico (saxofonista/ clarinetista) e pesquisador. Possui Mestrado em Música pela UEA. Já trabalhou com diversos artistas nacionais e internacionais tanto no Brasil, Europa, bem como na América do Sul.


Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.