Sexta-feira, 07 de Agosto de 2020

'Casa de Antiguidades' representa o Brasil em Cannes

Protagonizado por Antônio Pitanga, filme está na seleção oficial do festival francês


08/06/2020 às 17:51

‘Casa das Antiguidades’, primeiro longa-metragem do premiado diretor João Paulo Miranda Maria, está na seleção oficial de Cannes anunciada na última semana. O filme é produzido pela brasileira BeBossa e pela francesa Maneki Films, em coprodução com o Canal Brasil e tem distribuição da Pandora Filmes em território nacional. O roteiro, foi desenvolvido pelo próprio Miranda na Residence de Cannes – Cinéfondation, com a supervisão de Miguel Machalski (“Los Perros”, “O Verão dos Peixes Voadores”) e a colaboração de Felipe Sholl (Fala Comigo).  

“Infelizmente não haverá o glamour do tapete vermelho nem as sessões de photocall. O que de fato não significam em si o que é o Cinema. O mais importante é o impacto que estes filmes darão. Esta seleção é um anúncio do Cinema de amanha, que precisa encarar toda esta crise que vivemos.”, diz o diretor João Paulo Miranda Maria.  

No longa, Antônio Pitanga dá vida a Cristovam, um homem simples do interior que precisa mudar de cidade em busca de melhores condições de vida e trabalho. Porém, ele precisa se adaptar a uma realidade diferente daquela que estava acostumado, sofrendo com a solidão e o preconceito dos moradores locais. O diretor João Paulo fala mais sobre o personagem: “O filme tem o protagonismo de Antonio Pitanga, com seus mais de 80 anos, interpretando um homem que veio do interior de Goiás e que enfrentará violentamente um grupo ultra conservador no sul do Brasil.  Isto o guiará num buraco negro profundo e complexo; que espelha um Brasil que está perdido no tempo, com cara dos anos 70”.  

O filme conta com o apoio e patrocínio do FSA (Fundo Setorial do Audiovisual), CNC (Centre Nacional du Cinema – FR), Hubert Bals Fund, Cine en Construccion – Toulouse e Projeto Paradiso.   

‘Casa das Antiguidades’ tem ainda no elenco o belga Sam Louwyck (“Cargo”), Ana Flávia Cavalcanti (“Corpo Elétrico”), Aline Marta Maia (“Serial Kelly”) e Gilda Nomacce (“As Boas Maneiras”). A direção de fotografia é de Benjamín Echazarreta, fotógrafo de “Uma Mulher Fantástica”, longa vencedor do Oscar de Melhor Filme Estrangeiro, a montagem é de Benjamin Mirguet (“Batalla En El Cielo”) e composição sonora musical de Nicolas Becker (Gravidade).  

Sobre o diretor
Diretor e professor acadêmico, João Paulo Miranda nasceu no interior do estado de SP/Brasil em 1982. Fez Cinema no Rio de Janeiro e Mestrado em Multimeios na UNICAMP, apresentando uma dissertação sobre o cineasta Jean Luc Godard e o Grupo Dziga Vertov. Influenciado por sua pesquisa, João Paulo retorna ao interior de SP e funda o grupo de pesquisa e prática cinematográfica Kino-olho. Observando a realidade, ele buscou no cotidiano de sua cidade a inspiração para seu estilo, que chamou de “Cinema Caipira”, uma linguagem a partir da observação da realidade crua e bruta, da qual ele tenta transmitir sua essência.  

Em dezembro de 2015 participou de um Lab organizado pela Semana da Crítica – Festival de Cannes em parceria com o Torino Lab, em Moulin D’andé – Céci (Centro dos escritores cinematográficos), onde passou por consultoria sobre seu roteiro com grandes especialistas. Em 2017, João Paulo participou de uma residência artística oferecida pelo Festival de Cannes.  
 


Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.