Quarta-feira, 21 de Outubro de 2020

Cuidados paliativos

Por Euler Ribeiro, MD. PhD em Geriatria e Gerontologia – Reitor FUnATI


23/04/2020 às 17:34

A morte é um dos maiores enigmas da nossa existência. Desde a concepção no ventre materno estamos no processo de envelhecimento e temos o grande desafio de nos mantermos vivos durante esta caminhada. Todos esperam passar pelo ciclo básico da vida: nascer, crescer e morrer. Os cuidados com a nossa saúde sempre estiveram focados em um objetivo: prolongar a vida nesta terra.

Os profissionais da área da saúde nos ajudam a buscar através de todos os meios a cura das enfermidades e em seus códigos de ética juram dar sua melhor capacidade profissional em benefício a saúde do ser humano. Mas quando não há o que fazer? Admitir o esgotamento de todos os recursos para o prolongamento da vida não é uma tarefa fácil, porém para os pacientes que enfrentam as doenças terminais há uma conduta que estabelece uma nova perspectiva de trabalho multidisciplinar que pode garantir alívio à dor e à alma são o que chamamos de cuidados paliativos.

Os cuidados paliativos é um conjunto de práticas de assistência aos pacientes incuráveis que visa oferecer dignidade e diminuição de sofrimento. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS) "Cuidados Paliativos” consistem na assistência promovida por uma equipe multidisciplinar, que objetiva a melhoria da qualidade de vida do paciente e seus familiares, diante de uma doença que ameace a vida, por meio da prevenção e alívio do sofrimento, da identificação precoce, avaliação impecável e tratamento de dor e demais sintomas físicos, sociais, psicológicos e espirituais.

Os cuidados paliativos não prolongam a vida e nem tampouco aceleram a morte. Eles somente buscam dar suporte físico e emocional durante a fase terminal do paciente. A família é muito importante neste processo, pois também fazem parte dos cuidados diários, inclusive, um dos propósitos dos cuidados paliativos é orientar a família para que haja um bom suporte domiciliar de modo seguro e visando a qualidade de vida com muito carinho, atenção e amor.

Os cuidados paliativos também são compostos pela oferta de medicações, tratamentos, alimentação adequada, cuidados com a higiene, e outras ferramentas e atitudes humanizadas.

Temos como exemplo os pacientes com Doença de Alzheimer, Doença de Parkinson, Degenerações Neuromotoras e a própria Senilidade (envelhecimento com desvios de saúde).

Falar em cuidados paliativos em tempos de pandemias nos traz a reflexão sobre a missão de cuidar do outro, deixo aqui minha mensagem de apoio a toda equipe profissional de saúde incluindo os cuidadores e família que enfrenta os desafios de cuidar em meio ao colapso no sistema de saúde.

Parabéns pela coragem, pelo cuidado, pelo amor a profissão, pelo atendimento, pelo sorriso, pela proteção aos nossos idosos, pela persistência e pela esperança por dias melhores. Cuidem-se também!


Sobre Portal A Crítica

No Portal A Crítica, você encontra as últimas notícias do Amazonas, colunistas exclusivos, esportes, entretenimento, interior, economia, política, cultura e mais.